MOTO ACTION - MOTORCYCLE MAGAZINE
 Buscar: Em:
Indústria de Motocicletas mantém alta e Produz mais de 84 mil unidades Em Janeiro
 

  
  
14/02/2019

Em janeiro, as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM produziram 84.106 unidades, o que representa alta de 3,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado (81.306 motocicletas). De acordo com os dados divulgados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, esse volume também é 24% superior na comparação com dezembro passado (67.812 unidades).


Ao avaliar os números alcançados neste início de ano, Marcos Fermanian, presidente da entidade, afirma que este desempenho reforça a projeção da entidade de crescimento de 4,2% na produção de motocicletas em 2019.


“Hoje, o cenário macroeconômico é bastante favorável: temos inflação sob controle, queda nas taxas de juros e nos índices de inadimplência. Esse tripé trouxe de volta às concessionárias o consumidor que deseja uma motocicleta zero quilômetro e com mais recursos tecnológicos e de segurança”, diz.


VENDAS NO ATACADO


O repasse de motocicletas para as concessionárias também manteve a curva ascendente dos últimos meses e registrou alta 13,5% neste início de ano. Em janeiro, as fabricantes enviaram 81.655 unidades para as lojas, ante 71.967 motocicletas registradas no mesmo mês de 2018. Em relação a dezembro, o aumento foi de 22% (66.915 unidades). 


DESEMPENHO POR CATEGORIA


Entre as categorias de motocicletas mais comercializadas no primeiro mês do ano, a liderança ficou com a Street, com 54,1% de participação (44.146 unidades). Na sequência aparecerem a Trail, com 18,9% (15.451 unidades); Motoneta, com 15,5% (12.637); Scooter, com 5,3% (4.319) e Naked, com 2,5% (2.073).


Confira a seguir as características básicas das motocicletas de cada categoria:


Street – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano.


Trail – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto, tanto em vias pavimentadas quanto em terreno não pavimentado.


Motoneta – motociclo underbone, pilotado com o condutor na posição sentado, destinado ao uso urbano, de baixa cilindrada e dotado de câmbio automático ou semiautomático.


Scooter - Motociclo pilotado com o condutor na posição sentado e dotado de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto.


Naked – Motocicleta sem carenagem, com motor propositalmente exposto e de alto desempenho, concebida para a utilização em terrenos pavimentados. Semelhante a uma motocicleta versão “sport”, sem a carenagem.


Big Trail – Motocicleta de média ou alta cilindrada destinada ao uso misto em terrenos pavimentados e não pavimentados.


Off Road – Motocicleta de qualquer cilindrada destinada exclusivamente à utilização em pisos não pavimentados.


Custom – Motocicleta caracterizada por sua vocação para percursos de estrada, destacadamente os mais longos, chamadas de “estradeiras”, que não priorizam velocidade e, sim, conforto.


Sport Motocicletas de cilindradas médias ou superiores com carenagem que privilegia a aerodinâmica e o alto desempenho.


Ciclomotor – Veículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a 50 cm³.


Touring – Motocicletas usualmente de alta cilindrada concebidas para a utilização em turismo e viagens de grandes distâncias.


EMPLACAMENTOS


Segundo dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), em janeiro foram emplacadas 90.704 motocicletas, alta de 17,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado (76.993 unidades). Em relação dezembro passado (84.063 unidades), o aumento foi de 7,9%.


Apesar de janeiro ser considerado um mês habitualmente de menor volume de vendas devido às férias de verão e ao recesso escolar, a média diária de vendas foi de 4.123 unidades, volume 1,9% menor do que ao alcançado em dezembro (4.203 motocicletas) e 17,8% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado (3.500 unidades).


SCOOTERS NO VAREJO


Os emplacamentos de scooters em janeiro somaram 6.655 unidades,  13,3% superior  ao volume alcançado no mesmo mês do ano passado (5.872 unidades). Na comparação com dezembro, o crescimento foi de 26,8% (5.250 unidades).


EXPORTAÇÕES


Dados da Abraciclo mostram também que as exportações somaram 4.570 unidades no primeiro mês do ano, correspondendo a uma queda de 44,5% na comparação com janeiro de 2018 (8.227 motocicletas). O presidente da Abraciclo explica que o Setor de Duas Rodas também sofre as consequências da crise da Argentina, que vinha sendo o principal destino das motocicletas produzidas no PIM. Contudo, na comparação com dezembro passado (3.011 unidades), houve crescimento de 51,8%.


De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, os Estados Unidos, com 53,9% de participação (1.224 unidades), transformaram-se no principal destino das motocicletas brasileiras em janeiro. Em seguida ficou a Austrália, com 18,1% do volume exportado (412 unidades), e em terceira posição a Argentina, com 15,3% (348 unidades).


Deixe seu comentário sobre a notícia

Seu nome/apelido:
Seu comentário:
Digite o que você vê na imagem abaixo: *